POKÉMON GO, CRISTÃOS E A CAÇA AOS DEMÔNIOS.

Olho para a cultura a procura de Deus e não do Diabo!”

Marcos Almeida

 

Eis que enfim chega ao Brasil o tão comentado Pokémon GO, o aplicativo que utiliza a realidade aumentada a fim de mimetizar o famoso anime nos smartphones.

Desde o seu lançamento, o jogo já é marcado por diversas controvérsias relacionadas a acidentes causados pelo uso irresponsável do mesmo e até mesmo por questões acerca da privacidade das pessoas quem o joga.

Pokémon GO enfim aparece na terra de Cabral. 

O APP já é assunto em mesas de bar, em círculos de amizades, em grupos de familiares no WhatsApp e ENTRE OS CRENTES!

Pois é, a galera das igrejas agora já começa a se pronunciar a respeito. Outras pessoas decidem experimentar. Entre os posicionamentos mais comuns sobre o novo jogo está a defesa de uma suposta participação demoníaca em sua composição o que, segundo algumas pessoas, explica os várias acidentes que são atribuídos a ele.

Pokémon GO do Diabo?

Eu nasci no ano de 1996. O meu irmão em 1999. E assim como muitas pessoas que nasceram na virada do milênio, o relacionamento com os contemporâneos avanços da tecnologia além de inevitável é também profundo. Assim sendo, para nós, o Pokémon GO não foi recebido por nós com tanta surpresa como foi para pessoas de maior idade. Para nós, o Pokémon GO nada mais é do que um joguinho móvel que possui como o seu maior diferencial a utilização da realidade para a inserção de figuras fictícias. Só isto!

Contudo, eu tendo a me colocar no logar alheio e logo percebo o estranhamento, a surpresa e o repúdio ao jogo de celular que faz aparecer do nada na tela dos celulares que usamos, monstrinhos esquisitos perto de nós que não podemos ver a olho nu. É óbvio que isto soa no mínimo esquisito. No máximo: assombroso! Ainda mais sabendo que jovens estão se machucando por causa desta nova invenção.

Somando o pensamento que foi exposto acima com a ideia dualista de “mundano vs. gospel”, ouvir alguém afirmar que o Pokémon GO é obra do tinhoso é bastante compreensível. Não é a primeira vez que vemos tal ocorrência. Parece que aqui no Brasil, ser cristão, assim como no Pokémon GO, implica fortemente em caçar. Mas não caçar criaturinhas, mas sim caçar demônios. E aí ouvimos dizer que o Diabo está escondido em letras de música, em filmes, séries, livros, logomarcas, animes, desenhos animados, programas de televisão, bebidas, que artistas fizeram pacto com ele e se esconde até mesmo em fenômenos da natureza. Tudo indica que é melhor e também muito mais prazeroso ficar procurando o Satanás do que saber onde está Deus com a Sua perfeita beleza. Assim, tudo o que for estranho a cultura gospel e for inovador só poder ser obra do cão e com o com o coitado do Pokémon GO não foi diferente.

 

O Diabo se escondendo fumaça do onze de setembro… o.O

E o pacto entre a Xuxa e o Diabo?
E como esquecer da Disney?

Bom, eu não quero aqui defender o mais novo aplicativo do Pikachu, mas veja bem: quem foi que deu aos desenvolvedores do Pokémon GO e também do anime criatividade e inteligência para criá-los? E observe também: o que anda acontecendo com alguns usuários do aplicativo não é culpa dele! O mesmo pode acontecer (e acontece) com tantos outros aplicativos ou por qualquer outra coisa! O que levar a concluir que os acidentes na verdade são unicamente causados por causa da estupidez de alguns jogadores e nada mais! Quem dedica a sua vida a criticar o Pokémon GO, por conclusão de seu pensamento, diz que que os Filhos de Deus não podem usufrui-lo. Isto nem precisa responder, não é mesmo?

Finalmente, eu tenho duas palavras. A primeira é para cristãos que jogam o Pokémon GO: sejam livres para o jogar, sim! Contudo, atentem-se aos cuidados básicos no que se refere à cuidados referentes à sua integridade física e também material (tome bastante cuidado com os “robassauros“). Não seja irresponsável! Outra coisa: preste atenção com o abominável pecado da idolatria e não  permita jamais que a caça aos pokémons tire de você os preciosos momentos devocionais e também de celebração coletiva e administre o seu tempo corretamente. No mais, uma excelente caça aos pokémons a você. Saia, faça amigos, ria, viva! A minha segunda palavra vai para os caçadores de Diabo e críticos do game: tudo bem, você pode não gostar e até mesmo odiar o Pokémon GO, está dentro do seu direito, o faça se assim você bem entender que for melhor. Mas por favor, não intimide, julgue ou menospreze quem faz uso do jogo de maneira ordeira e decente… É feio e Deus tá vendo… Saiba conviver com a diversidade e não restrinja o direito alheio de jogar. Lembre-se: Deus tem total domínio até mesmo sobre o Inimigo e o Eterno o já venceu (aleluia!)! No mais: está nervoso? Vai caçar uns pokémons por aí… 🙂

Por qual motivo o Diabo tem sempre que ficar com os melhores acordes?”

Lutero

Sem título


O pessoal da Crentassos Produções Subversivas gravou um podcast sobre as tão famosas teorias da conspiração que surgiram (e infelizmente) continuam surgindo abundantemente no meio gospel e tals. Para ouvir/baixar é só clicar aqui. Aproveita e conheça o trabalho do pessoal!

O Yago Martins e o Felipe Cruz do canal Dois Dedos de Teologia gravou um vídeo sobre a relação do indivíduo cristão com o Pokémon GO. Assista aqui. O outros vídeos também são altamente recomendáveis!

Leia ainda dois textos sobre o assunto:

ANDRÉ SANCHEZ (Esboçando Ideias): Pokémon GO: 3 perguntas que o cristão deve responder antes de instalar.

CARLOS ROBERTO: um cristão pode jogar Pokémon GO?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s