EM DEFESA DA PRÁTICA LEITORA QUE TODO CRISTÃO DEVE(RIA) TER

Quando vieres , traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, bem como os livros, especialmente os pergaminhos.”

2Tm. 04:13


Como já se sabe, Paulo (Saulo, antes de sua conversão no caminho de Damasco, quando a Graça o alcançou de maneira ímpar conforme se encontra narrado pelo apóstolo médico Lucas em Ats. 09), era um judeu respeitadíssimo em seus círculos. Além de ser um implacável perseguidor de cristãs e cristãos e temido por onde ele passava, sempre deixando rastros de destruição e morte, o antes Saulo era extremamente instruído, letrado (em seu sentido segundo o senso comum), sábio, inteligente academicamente falando. A sua mente era um verdadeiro poço de conhecimento. Ele conhecia com profundidade e inteireza toda a Lei. Por consequência, acredita-se que aquele homem era dono de uma retórica única. A sua capacidade de criação textual e lógica nos são reveladas em seus escritos em toda a Bíblia Sagrada, principalmente quando ele escreve aos romanos, onde temos a nossa disposição uma sagacidade incrível, fazendo que quem estuda a Bíblia com afinco trate a carta como um verdadeiro tratado teológico, sendo considerada até mesmo a primeira Teologia Sistemática da história da igreja e presente nas Santas Letras. Foi nesta carta que homens como João Calvino, Lutero, Karl Barth, John Stott e também o grande David Paul Washer, mais se debruçaram em seus estudos, aumentando, assim, toda a herança intelectual da história do pensamento teológico Protestante dentro do Ocidente. Qu
ando o experiente apóstolo Paulo escreve ao jovem Timóteo dando-lhes recomendações acerca da liderança da igreja em que ele estava inserido, aquele faz alguns pedidos ao jovem amigo. Ele pede para revê-lo, cita o nome de algumas pessoas e diz que quando Timóteo o fosse vê-lo, que ele levasse alguns itens que pertencem ao apóstolo junto com ele para entregá-lo. Entre estes itens, como se lê na citação acima, estão uma capa, livros e pergaminhos. Eu quero aqui centrar nestes últimos itens.

Como já deu pra perceber claramente aqui, toda a inteligência de Saulo foi preservada pelo próprio Deus em Paulo, ocorrendo um redirecionamento, um redirecionamento para as coisas corretas. E neste aspecto, quando Paulo pede a Timóteo que quando ele o visitasse o trouxesse os seus livros e pergaminhos também, é possível notar com toda a precisão e também explicitamente que Paulo além de manter, preocupava-se com o seu cotidiano de leitura, meditação e muito estudo, o que explica, com toda a certeza, a beleza de todos os seus escritos. Além de um grande missionário, o apóstolo Paulo foi um grande intelectual da fé cristã, o que nos faz pensar: por que raios, muitas pessoas defendem que o muito estudo e a Teologia são adversários da espiritualidade e piedade e preferem cair em um pragmatismo irrefreável? Ora, como conhecer a vontade de Deus e como servi-lO melhor sem o conhecimento de Sua máxima revelação escrita? Se não fosse por ela, qual é a sua utilidade então? Como Chersteton outrora já escreveu: “quando Roma está em chamas, pode ser errado tocar violino, mas é correto estudar hidráulica.”

 

Mas ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue um outro evangelho qualquer que vá além do que vos temos pregado aqui, que seja ele anátema!”

Gl. 01:08

 

O ponto é o seguinte: se a base do Cristianismo verdadeiro é um grande e também importante livro e um de seus expoentes nos mostra que tinha apreço por seus livros, além de que grandes pessoas da fé persistem em estudar, parece que faz parte da natureza do bom cristão, da boa cristã, manter uma rotina, uma cultura, uma prática que consista em leitura. Vamos analisar…

Hoje, toda a revelação da fé cristã e suas recomendações encontram-se em uma histórica e também volumosa publicação e tem resistindo, pela graça de Deus, a toda resistência violência dos réprobos. Assim, quem quiser agradar a Deus e conhecer as Suas doutrinas precisa fazer a leitura diária de tal livro, como ele mesmo recomenda. Assim sendo, a cultura leitora da cristã e do cristão já começa nos primeiros passos da conversão religiosa, do encontro com Deus e que segue caminhando durante toda a caminhada cristã.

 

Bem aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores e nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na Lei do Senhor e na Sua Lei medita de dia e de noite.

Sl. 01:01e02

 

Quando a Bíblia nos diz como Deus se revelou ao ser humano, parece que o método escrito é o que predominou na história, o que, obviamente, exigia obrigatoriamente leitura. Temos os Dez Mandamentos, escritos nas tábuas de pedras. Vemos também o próprio Moisés versando verbalmente o Pentateuco. Davi também não resistiu os prazeres da construção escrita e não se deteve nas composições que constituíram mais a hinódia hebraica. Há ainda o exemplo do escriba Esdras que traduziu toda a Lei para que o povo de Deus meditasse nela, após os seus pecados, originado pelo distanciamento da Lei, especialmente o pecado das relações sexuais e casamentos com povos não permitidos, fazendo com que elas e eles também perdessem a sua unicidade linguística, cultural e religiosa, o que dificultou a leitura dos mandamentos divinos. No Novo Testamento, o Filho de Deus era conhecedor de toda a Lei, citando o Antigo Testamento diversas vezes, não perdendo as oportunidades para pregar nas sinagogas judias. Temos ainda toda a inteligência Paulina, os seus escritos e todos os debates em que o mesmo participou.

Na história da igreja, vemos Lutero traduzindo a Bíblia e muitas outras pessoas suando para fazer o mesmo. Temos Calvino com as suas históricas Institutas, Armínio com as suas obras… A relevante e também histórica construção intelectual neocalvinista da Holanda… E hoje? Tantas pessoas lendo a Bíblia, relendo-a, publicando diversas obras para a edificação do corpo de Cristo. A Bíblia ainda continua sendo o livro mais vendido de todo o mundo e influenciando todo o Ocidente (e porque não o mundo inteiro) com todos os seu princípios atemporais.

Ufa! Tantos são os argumentos e fatos que corroboram para a defesa de uma vida cristã que inclua a leitura como parte integrante de sua existência… É fato: o individuo cristão é alguém que deve ler, ou pelo menos deveria. É alguém que precisa sempre estar atentos às novidades e sabê-las respondê-las com profundidade. Tem que reverter esta história de que crente não estuda, é burro, é pobre intelectualmente, academicamente, não tem nada para oferecer. A Teologia deve perder um pouco o ser caráter acadêmico a fim de tornar-se popular e não intimidar as pessoas para que elas a abracem como temor e tremor e as respeitem como ele, a Rainha de todas as ciências.

Eu quero convidar você, então, a fazer da leitura uma prática comum em sua vida. Se você é cristão, ela já deve existir, simplesmente pelo fato de você ser cristão e possui como dever ler a Bíblia e preservá-la até o fim. Leia, gaste tempo e dinheiro com livros, procure algo que lhe interessa. Leia o que você concorda, discorda, o religioso e não religioso, comece a organizar a sua própria biblioteca. Cristã e cristão, preste bastante atenção no que eu lhe recomendo: eu quero intimá-lo agora a começar a desenvolver uma prática leitora constante e não despreze jamais a oportunidade de crescer por intermédio das letras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s