A RELEVÂNCIA DE STRANGER THINGS (Ou PRECISAMOS FALAR DE STRANGER THINGS)

Eu só agora consegui assistir a primeira temporada da nova aposta da Netflix, aclamada nas redes sociais e mesmo sem ter prêmios importantes, muito possivelmente, considerada a melhor série de 2016.

Stranger Things é uma série de suspense/terror lançada em 2016 pela Netflix (série original) tendo na primeira temporada somente oito episódios já com a sua segunda temporada renovada. A série concentra-se em quatro adolescentes que após um domingo de diversão, um deles acaba desaparecendo e é exatamente aí que todo o drama, então, se inicia.

Mesmo sendo uma série de suspense/terror, geralmente atraindo a atenção de pessoas menos sensíveis, Stranger Things se destaca exatamente por ter como protagonistas e principais personagens jovens e adolescentes, o que além de tornar a história muito mais leve, dá a ela um toque muito especial. É simplesmente impossível não rir em determinadas cenas e não se apaixonar pelos três amigos procurando o pequeno desaparecido.

Quando Stranger Things foi lançada a internet inteira não falava de outra coisa. Lembro de entrar em meu perfil no Facebook e ver na minha Timeline, diversas postagens sobre o programa. Sites especializados logo se debruçaram a comentar a nova série da Netflix e era extremamente difícil encontrar quem estivesse falando negativamente da mesma.

Como já foi dito anteriormente, Stranger Things é fortemente marcada pela presença exaustiva de jovens e adolescentes. Assim, questões relacionadas a tais universos são abundantemente tratadas. Na verdade, após eu terminar de assistir aos oito primeiros episódios da saga, a sensação que eu tive foi que Stranger Things conseguiu tratar com extrema competência e responsabilidades sérias questões relacionadas a juventude em menos de dez episódios do que Malhação com todos os seus estereótipos e bobagens em anos no ar na Rede Globo de Televisão, ou seja: consegue ser muito mais relevante. Toda a espinha dorsal do roteiro de Stranger Things, constituída pela ideia da existência de um monstro, uma realidade paralela e o desaparecimento de um adolescente, é sempre ligada a questões como amizade, namoro, família, perdão, sacrifício, relação entre pais e filhos, bullyng, sexo, maternidade, paternidade, ciúmes, irmandade, “nerdice”, incompreensão, brigas, etc. E tais assuntos estão explícitos na atração, o que faz com que Stranger seja muito mais do que mais um programa pra levar sustos, mas seja um verdadeiro convite à reflexão acerca da juventude contemporânea. Sim, precisamos falar de Stranger Things! Professores, pais, pastores, líderes de juventude e qualquer pessoa que precisa se relacionar com jovens precisa assistir Stranger Things para conhecer estas pequenas cabeças, os riscos que correm, os erros que cometem, como amam.

Outra vantagem de Stranger Things é que apesar de a série envolver o comportamento de jovens e adolescentes, ela não o faz com os estereótipos que estamos costumados a ver sobre os teens. Por exemplo: na série, elas e eles não são burros, imaturos, mas inteligentes, inclusive com a capacidade de reconhecer os seus próprios erros, são maduros, levam as suas amizades a sério de verdade, pois sabem o que elas significam. No que se refere a conflitos com os pais, as discussões que nos são mostradas não são sobre assuntos banais, mas são mais próximas da realidade das famílias contemporâneas. E até mesmo o namoro e o sexo, que em outros programas com jovens e adolescentes, é relatado de maneira tão inconsequente, beirando a libertinagem, em Stranger Things, é abordado, como eu já disse, de maneira responsável, mostrando todas as conseqüências do mesmo na vida do jovem e a que caminhos ele pode levar. O namoro e também o sexo entre os jovens, em Stranger Things, não é visto como a melhor das coisas, mas mostra todos os seus riscos de maneira realista, com os pés no chão. Na verdade é exatamente as consequências do namoro e sexo que são responsáveis por parte dos problemas em que se envolvem os personagens em Stranger Things.

Mesmo eu já tendo assistindo os oito episódios, até hoje os insights que eu tive não saem da minha cabeça. Como eu já disse, Stranger Things é altamente recomendável para qualquer pessoa que convive com adolescentes e jovens, pois, entre outras coisas, ajuda grandemente a desmistificar algumas mentiras que temos acerca de criaturas tão incríveis que são os jovens e adolescentes. Se você já viu a série sabe do que eu estou falando, se não viu, assista, é só o que eu tenho pra dizer.

 

Esperando ansiosamente a segunda temporada de Stranger Things e reprisando a primeira o tempo todo,

Natanael da Costa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s